16 outubro 2007

Alguém me explica?!

Tenho o televisor ligado. Começa o primeiro programa de Joaquim Furtado sobre a guerra colonial. Os depoimentos dos representantes dos movimentos africanos são todos legendados, alguns deles "tratados" em termos da "correcção do português". Não compreendo. O sotaque deles é menos cerrado do que o de Alberto João Jardim e expressam-se com a mesma estrutura de oralidade que se encontra em qualquer aldeia portuguesa do interior.
Será para os pretos os perceberem?
Ou para os brasileiros?

13 comentários:

Abobrinha disse...

O primeiro erro é estares a ver televisão!

alf disse...

Pois, eu sinto muito a falta de legendas quando vou a uma certa aldeia muito no interior eheh... tenho de recorrer à tradução simultânea de uma pessoa conhecida!

Range-o-dente disse...

Suponho que há uma desculpa esfarrapada: por causa dos surdos.

.

Tarzan disse...

Não vi o documentário todo. Deu-me náuseas. Mas as partes que vi bem precisavam de legendas. Era um português muito criolo.

antonio disse...

Também reparei nisso. Para não fazer descriminação, entre eles, optaram por legendar todos os pretos... foi a ideia com que fiquei.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Depois voltarei para te comentar.Hoje só quero convidar-te a juntares-te a nós no NOTAS SOLTAS IDEIAS TONTAS (http://notassoltasideiastontas.blogspot.com) no grito contra a pobreza, hoje dia 17/10/07 em que, internacionalmente, se exige a sua erradicação.

Joaquim Simões disse...

Alf, quando estive em S. Miguel tive alguma, mas somente alguma, dificuldade em perceber o português falado naquela mistura de sotaque alentejano de Portalegre com o francês de acento bretão (foi assim que a ilha foi colonizada). Mas já me aconteceu ouvir um natural de uma zona da Beira interior durante um quarto de hora e não perceber uma - repito, uma! - palavra do que ele disse.
Não foi o que aconteceu ontem. O português falado pela maioria daqueles que deram o seu testemunho era mais correctamente estruturado do que aquele que nós ouvimos na maioria na nossa população e o sotaque não tornava o que disseram inacessível, mesmo a quem seja duro de ouvido.
Daí o post.
Um abraço.

Joaquim Simões disse...

Tarzan:
Estava a trabalhar e calhei a ligar o televisor quando o programa ia começar. Vi os primeiros 5 ou 6 minutos, o suficiente para me irritar com o relatei e desligar.
Se calhar, o restante precisaria. Não sei.

Joaquim Simões disse...

antónio:
Pois, se calhar foi isso, mas como disse na resposta ao Tarzan, desliguei quase de seguida. De qualquer modo, acho disparatado: legenda-se o que é necessário, como, aliás, se faz com os depoimentos das pessoas de cá, em situações de sotaque mais afastado do de Lisboa. Olha se fizessem isso com o pessoal do Porto de sotaque mais tripeiro...!

Joaquim Simões disse...

Range-o-Dente:
Ná! Por tudo aquilo que respondi aos comentários anteriores, acho que nem se dignam a supor que precisam de desculpas.
Um abraço.

Joaquim Simões disse...

Silêncio culpado:
Cá fico à espera do comentário.
Logo que possa, farei uma visita ao blog.

Abobrinha disse...

Joaquim

Lamento informar, mas a Silêncio culpado deixou a mesmíssima mensagem no meu blogue! Ponto por ponto, vírgula por vírgula.

Suponho que para depois poder afirmar "A blogosfera está de parabéns e o blogue NOTAS SOLTAS, IDEIAS TONTAS, que acolheu com tanto empenho esta iniciativa, está de parabéns. E está de parabéns não pela qualidade que pretendem atribuir ao post de minha autoria, mas porque são uma equipa que sabe acolher e interessar-se pelo exercício de cidadania. Antes de eu postar já o NOTAS tinha ao lado a sua aderência a esta causa."

Eu até me levantaria contra a pobreza... e o racismo, discriminações de vários tipos, direitos dos animais, moda de leggings vermelhos debaixo de calções pretos curtos com cintos enormes (juro que não estou a inventar: já vi disto!)... mas não é assim que se "está de parabéns".

Estas iniciativas (e modo de divulgação) não serão mais auto-promoção que outra coisa? POdem ou não ter boas intenções (não foi essa a dúvida), mas alguém terá algum tipo de ilusões quanto a isto fazer seja o que for?

Joaquim Simões disse...

E não só no teu, mas, como verifiquei seguir, em alguns outros.
Pois...