18 outubro 2008

A prova da infinita misericórdia de Deus


Pois, se assim não fosse, como poderia suportar que na Sua Criação houvesse alguém que, num arroubo de supino parolismo pretensioso, baptizasse o que quer que fosse como Clube dos Pensadores ou aceitasse sequer participar em algo de tal espírito?!

3 comentários:

Joaninha disse...

Ai desculpa clube dos pensadores é bom, é muito bom.

Vamos criar nós um clube também, tipo clube dos protugueses giros e inteligentes, o que te parece?

beijos

(Epá tou com uma dose extra de adrenalina por causa das aulas, o sono não quer nada comigo hoje.

Anónimo disse...

Clube dos pensadores ou clube dos palhaços pedantes?
Pergunto isto porque surgiu a notícia de que iria lá estar o Carrilho, aquele filósofo que segundo dizem, duvido que seja verdade, até num casamento sucedeu uma barraca do camandro, tão depressa era como não era solteiro.
Pensadores?

Santa Naz

Joaquim Simões disse...

Joaninha:
Eu sou um bocado como o Groucho Marx, que dizia que nunca faria parte de um clube que o admitisse como membro. Mas podemos pensar nisso, apesar de tudo. Alvitra.
Agora, vê se dormes, senão ainda aparece para aí um governante iluminado que estabelece horários para apoio a alunos com insónia.

Santa Naz:
Desconheço o que de bárbaro se possa ter passado no casamento do Prof. Carrilho. Se calhar, foi qualquer coisa retórica, que é a área académica e política dele. Mas não deve ter mesmo tido importância nenhuma, como, aliás, seria de esperar.