01 junho 2011

"Para elevar os corações"

Nicolau Saião, Expo 98

Título missiva seguinte, que se fez acompanhar pela obra acima. Ambas de Nicolau Saião.

"Apesar de estarmos em período eleitoral, altura em que a alegria, segundo fontes geralmente bem informadas, se abate sobre os cidadãos, nomeadamente lusos, temos detectado um certo ar tristonho nos transeuntes com que nos cruzamos.
Fenómeno assaz curioso e um pouco intrigante, mas que não vamos agora tentar destrinçar.
De repente, no intervalo de um trabalhote literário urgente, lembrámo-nos de que faz agora 13 anos - feliz número! - que um acontecimento fenomenal empolgou a pátria em geral e alguns felizardos em particular - e não estamos com isto a tentar sarcasmos infundados ou, ainda que fundados, de mau gosto no presente momento...
Pois sabemos como o estrangeiro, sempre gratamente espantado ante os eventos portugueses, reagiu na altura: vendo em nós, e principalmente nos promotores do feliz sucesso, pelo menos malta à altura dos homens de quinhentos, que deram mundos ao mundo para usar esta desapiedada e veraz expressão.
E apesar de algumas coisitas que na ocasião sucederam (uns dinheiritos...e tal...que foram à viola...mas até nem foi muita fruta de acordo com observadores bem colocados destas coisas alegadamente materiais) a Iniciativa correu como ginjas - passe o plebeísmo - sendo até, digamos, o princípio de um progresso nacional que já antecipava, permitam-nos o simbolismo, a onda de bem-estar em que actualmente nos encontramos (e certas gentes labutadoras principalmente).
Sempre atento, conquanto malandreco como sabemos, o nosso proverbial Almeida e Souza organizou uma pequena, ainda que grande, mostra de Arte Postal que foi recebida com a satisfação que se calcula...
Esta, plasticamente piedosa e eivada de sumo positivo, foi a contribuição do signatário.
E mais não pomos na carta..."

2 comentários:

Anónimo disse...

Ou é da minha vista ou o Santinho parece-se pelo menos de perfil, com o Socas? Deve ser da minha vista porque o Socas parece-se mais com o próprio Socas. Figura e perfil inimitável. Apre.

Cartoga dos Santos

Joaquim Simões disse...

Cartoga dos Santos:

Trata-se de uma obra premonitória de Nicolau Saião. De quem, aliás, não seria de esperar menos...