19 maio 2011

Paraversejando...


2 comentários:

Anónimo disse...

Que dupla, cara! Ao lado de Almeida, o homem que escreve como um mestre-escola de povoado e pensa que é prosador de estilo, um pequeno político que fez a "descolonização exemplar" e fala de alto, Sócrates fica mais realista e mais verdadeiro. Como diz o filme "verdade na mentira", cê!

Plínio Pai

Joaquim Simões disse...

Plínio Pai:

Almeida Santos sempre, sempre ao lado do chefe.